Educação Básica 12 de Dezembro de 2019

CAPES oferta 66 mil vagas para formação de professores

A formação de professores da educação básica vai ganhar um reforço de mais de R$ 325 milhões. Esse é o montante que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) está investindo ao abrir 66 mil vagas para formação de estudantes de licenciatura e de professores que lecionam na educação básica. Também haverá oferta de capacitação nos Estados Unidos e no Canadá. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 12, pelo presidente da CAPES, Anderson Correia, o presidente substituto do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Camilo Mussi, e o diretor de Educação Básica e a Distância da CAPES, Carlos Lenuzza.

Para o presidente da CAPES, a expectativa é que essas ações contribuam para corrigir problemas históricos da educação brasileira. “Esperamos uma melhoria significativa nos resultados das avaliações para os próximos anos, pois o professor é o elo vital da formação das crianças e dos adolescentes no País. Um professor bem formado, motivado, capacitado, qualificado certamente fará um impacto muito grande na vida dos estudantes brasileiros”.

Para realizar a capacitação, a CAPES vai publicar editais, de dezembro deste ano a março de 2020, envolvendo os seguintes programas: Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), Residência Pedagógica, Formação de Professores (Parfor) e o programa de desenvolvimento profissional nos Estados Unidos e no Canadá.

Para os Programas Pibid e Residência Pedagógica, a CAPES destinará 60 mil bolsas. O Pibid é voltado aos estudantes de licenciatura que estão na primeira metade do curso e o Residência Pedagógica, para os licenciandos da segunda metade. A publicação dos editais está prevista para janeiro de 2020, com um investimento total de R$ 305.887.500, somando bolsas e custeio.

No Parfor, serão abertas inicialmente 150 turmas em cursos de licenciatura. O programa irá atender a cerca de 6 mil professores da rede pública que não possuem formação em licenciatura na área em que atuam em sala de aula. O investimento é de R$ 19.250.000. Os interessados deverão se inscrever, a partir de 18 de dezembro, na Plataforma CAPES de Educação Básica, indicando o curso de interesse para formação. Para selecionar as instituições de ensino superior que ofertarão os cursos, será publicado um edital em março de 2020.

Anderson Correia destacou os esforços tanto do Ministério da Educação quanto do Congresso Nacional na recomposição do orçamento da CAPES e o envolvimento das universidades no processo de formação dos professores. “São vários parceiros contribuindo para cumprir as metas de melhoria da educação básica do País”, ressaltou.

A Capes também lançará, em dezembro, dois editais de cooperação internacional para a formação de docentes da educação básica. O Programa de Desenvolvimento Profissional de Professores de Língua Inglesa nos Estados Unidos (PDPI) oferecerá 486 vagas, enquanto o Programa de Desenvolvimento Profissional de Professores da Educação Básica no Canadá abrirá oferta de 102 vagas.

Para Camilo Mussi, o investimento na formação de professores vai contribuir para a melhoria do desempenho dos estudantes no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), calculado pelo Inep. O indicador é produzido com base nas informações de duas fontes, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), por meio de prova e questionário aplicados a cada dois anos, e o Censo Escolar, respondido anualmente por todas as escolas do País. “É muito importante quando temos o apoio da CAPES nessa formação”, argumentou. Dados do Inep mostram que 40% dos professores da educação básica não atuam na disciplina para a qual se formaram.

Com informações da Redação CCS/CAPES